Oct 27, 2021 Última Atualização em: 5:32 PM, Oct 22, 2021

Senado aprova meia-entrada

Categoria: Notícias de 2013
Acessos: 1605 times
Senado aprova meia-entrada

Eventos culturais e esportivos devem reservar 40% dos ingressos para estudantes, deficientes e jovens de baixa renda.
Idosos não entram na cota.


A contragosto de entidades que representam produtores culturais, o Senado aprovou ontem proposta que regulamenta o direito à meia-entrada em eventos culturais e esportivos para estudantes, pessoas com deficiência e jovens de baixa renda. Pelo projeto, 40% do total dos ingressos ofertados devem ser para a meia-entrada. O ponto da discórdia com as produtoras é que, na última hora, os senadores decidiram não incluir nessa cota de 40% o direito que os idosos também têm ao ingresso mais barato. Como o Estatuto do Idoso prevê o direito ao benefício a pessoas com mais de 60 anos, os empresários vão ser obrigados a continuar vendendo meias-entradas a quantos idosos a requererem, independentemente da cota de 40% da lotação da casa.

Senado aprova meia-entrada

Eventos culturais e esportivos devem reservar 40% dos ingressos para estudantes, deficientes e jovens de baixa renda.
Idosos não entram na cota.


A contragosto de entidades que representam produtores culturais, o Senado aprovou ontem proposta que regulamenta o direito à meia-entrada em eventos culturais e esportivos para estudantes, pessoas com deficiência e jovens de baixa renda. Pelo projeto, 40% do total dos ingressos ofertados devem ser para a meia-entrada. O ponto da discórdia com as produtoras é que, na última hora, os senadores decidiram não incluir nessa cota de 40% o direito que os idosos também têm ao ingresso mais barato. Como o Estatuto do Idoso prevê o direito ao benefício a pessoas com mais de 60 anos, os empresários vão ser obrigados a continuar vendendo meias-entradas a quantos idosos a requererem, independentemente da cota de 40% da lotação da casa.

O texto tramitava havia seis anos na Câmara e, agora, segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff. Os jovens considerados de baixa renda são aqueles entre 15 e 29 anos inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal e cujas famílias têm renda mensal de até dois salários mínimos.
Como havia a previsão de que a meia-entrada para idosos seria incluída no limite de 40%, muitos senadores reclamaram. “Como foram colocados 40% para os três segmentos — deficiente, idoso e jovem —, o idoso, que tinha 100% (de garantia da meia-entrada, de acordo com o Estatuto do Idoso), vai cair para 13,5%. Estou fazendo uma conta geral, matemática, para refletir com todos nós”, disse PauloPaim (PT-RS), na sessão de terça-feira.

Depois da pressão do petista, autor do Estatuto do Idoso e defensor da causa no Congresso, houve acordo e os senadores decidiram tirar os idosos do texto. A aprovação recebeu o apoio de estudantes, que acompanhavam a votação nas galerias, mas foi criticada por pessoas ligadas à produção cultural que acompanhavam a sessão. O presidente da Associação dos Produtores Culturais do Rio de Janeiro (APTR), Eduardo Barata, disse que houve quebra de acordo por parte do governo com a exclusão dos idosos da cota. Ele acusou os senadores de serem “populistas” em ano pré-eleitoral. “O preço das meias-entradas fica mais alto porque quase 80% delas são vendidas para idosos. Só o problema da falsificação de carteiras (de estudantes) foi resolvido. É um avanço, mas só resolve em parte. O que a gente queria era poder oferecer ingressos a preços justos para toda a população, mas com o idoso da elite classe A pagando meia-entrada, não vamos conseguir baratear para o resto”, lamentou.
O texto aprovado diz que os jovens devem comprovar que são estudantes apresentando carteira emitida por entidades de cada segmento.

Sub judice Para o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), a votação pode ser questionada na Justiça por associações ligadas à produção cultural. “O Senado aprovou determinado texto e a Câmara ratificou, voltou igual ao que estava. Então, o Senado, agora, não poderia mudar. Não tenho legitimidade processual para questionar sozinho essa atitude
no Supremo Tribunal Federal, mas as associações de classe artísticas podem”, orientou o senador.

Fonte: Correio Braziliense - 05/12/2013

Leia Também

COBAP retoma eventos presenciais com o XXVI CNAPI em Aracajú (SE)

COBAP retoma eventos presenciais co…

22 Out 2021 Notícias de 2021

Comprovante de vacinação da COVID-19 será obrigatório em atividades de alto risco

Comprovante de vacinação da COVID-1…

14 Out 2021 Notícias de 2021

Prova de Vida do INSS continua suspensa até fim do ano

Prova de Vida do INSS continua susp…

30 Set 2021 Notícias de 2021

Comissão aprova 14º dos aposentados. Projeto segue em tramitação.

Comissão aprova 14º dos aposentados…

28 Set 2021 Notícias de 2021

Entidades gaúchas participam do lançamento do Plano de Benefícios COBAP na FETAPERGS

Entidades gaúchas participam do lan…

19 Ago 2021 Notícias de 2021